terça-feira, 13 de junho de 2017

Jaguaretamense é destaque na politica alagoana


Vereador Roberval Sales,
Presidente da Comissão de Justiça
Em Sessão ordinária realizada na noite de ontem (12/06), sete dos nove vereadores aprovaram o projeto de Lei 007/2017 do executivo que destina um percentual de 20% (vinte por cento) da arrecadação de impostos ao regime próprio de previdência do município de Santa Luzia do Norte (município do Estado de Alagoas, fundado em 1650 e que fica há 23 km da capital).
O Projeto do prefeito Edson Mateus, tem como objetivo beneficiar os aposentados, no que foi entendido como prioridade pelo vereadores que optaram pela aprovação do projeto.
Segundo o presidente da comissão de justiça, da Câmara de vereadores, Roberval Sales, "o projeto vai alimentar a arrecadação para  o fundo de previdência que há tempo tem um déficit grande, isso vai proporcionar um reforço no pagamento dos aposentados e projetos como esse que são para o beneficio do povo,os vereadores de Santa Luzia do norte estão sempre dispostos a trabalhar para que  possamos tirar nosso município do atraso que se encontra, esse tipo de projeto sempre será votado em regime de urgência para maior agilidade em tudo q seja para o bem da população.Eu, como presidente da comissão de justiça adiantei o parecer favorável para maior agilidade nos tramites da votação e aprovamos por unanimidade", concluiu o edil da bancada de sustentação do executivo.

DESTAQUE: O  Vereador Roberval Sales, está em seu primeiro mandato e vem se destacando pela sua forma incansável em buscar melhorias para o povo daquela urbe.
Como político atuante, além de vice-presidente daquela casa legislativa, também é presidente de comissão de justiça, presidente do conselho de justiça e relator da comissão de orçamento.
Natural de Jaguaretama-CE, microempresário, empreendedor e atuante na vida pública alçou novos horizontes e viu a possibilidade de poder fazer muito mais para o povo de Santa Luzia do Norte que o elegeu e depositou toda a confiança por ter a certeza de que, com a sua atuação, terão a verdadeira mudança tão almejada pela população.

Fonte: http://mariedasantana.wixsite.com/visaoluzienseal/projeto-aprovado

JAGUARETAMA: SERVIDOR DENUNCIA ASSÉDIO MORAL E PERSEGUIÇÃO

O servidor Nelson Felipe Félix, servidor efetivo do município no cargo de VIGIA e dirigente sindical, lotado na Secretaria de Educação desde 2013 denunciou recentemente ao SINDSEP local o fato de estar sofrendo Assédio Moral por parte da atual gestão.

Dos fatos:

Logo no início da atual gestão, Nelson Félix recebeu determinação verbal do atual Secretário da Educação, Prof. José Jorge, que estaria sendo transferido para a Secretaria de Infra-estrutura. A determinação além de não ser protocolada através de OFÍCIO como manda a Lei, foi feita arbitrariamente e sem qualquer justificativa cabível a não ser a informação de que "a Secretaria da Educação já teria vigias demais". Ocorre que alguns dias depois, o servidor observou que a vaga deixada por sua transferência foi ocupada por outro servidor. Mesmo assim, Nelson Félix continuou exercendo sua atividades laborais normalmente, desta vez na praça Benigno Bezerra. Findo o mês, nova surpresa lhe sobreveio quando percebeu que foram adicionadas-lhe duas faltas, das quais resultou substancial desconto em seu contra cheque. O servidor resolveu então procurar sua chefia imediata para esclarecer o motivo das faltas injusta e ilegalmente impostas. Então, outra surpresa adveio-lhe: não foi atendido. Nelson Félix então procurou a assessoria jurídica do SINDSEP local que procedeu conta o protocolamento de Ofício solicitando a  imediata devolução dos valores pagos injusta e ilegalmente subtraídos do contra cheque do servidor, porém, passado o prazo legal de resposta, o Ofício não foi respondido. Não obstante a tudo, o servidor foi em poucos dias (08/06), novamente transferido, desta vez da Secretaria de Infra-estrutura para a Secretaria de Administração, desta vez sem qualquer tipo de comunicação (nem mesmo verbal) ou justificativa. Prosseguindo com as maldades e ilegalidades, os administradores novamente transferiram o servidor Nelson Félix na última quinta-feira (09/06), desta vez através de Portaria assinada pelo Prefeito Glairton Cunha encaminhando-o para a Secretaria de Saúde, mais precisamente para o HMABM. Contudo, somente ontem (12/06) o servidor obteve ciência de sua terceira transferência, através de Ofício emitido pela Secretária da Saúde e entregue pelo também servidor efetivo do cargo de vigia, Maurivam Soares o qual dava-lhe ciência de sua lotação no HMABM.
Dos preceitos conceituais e legais:

Assédio Moral no trabalho é a exposição do trabalhador (a) a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, sendo mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e sem simetrias, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e aéticas de longa duração, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s), desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego.

Embora expressamente falando, o Assédio Moral não faça ainda parte do ordenamento jurídico brasileiro, para o Superior Tribunal de Justiça, o Assédio Moral no serviço público é considerado como IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. O STJ já possui ampla jurisprudência em casos de Assédio Moral contra servidores públicos.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

PF vai intensificar combate à corrupção nas Prefeituras

O delegado federal Rolando Alexandre de Souza,
chefe da SRDP, diz que a corrupção
deteriora os serviços públicos
( Fotos: Fabiane de Paula ) 
No momento em que a "Operação Lava-Jato" apura crimes financeiros cometidos no topo da política brasileira e atrai as atenções de todo o País, a Polícia Federal (PF) também irá intensificar o combate à corrupção em nível municipal. As investigações de desvios de recursos públicos nas prefeituras serão reforçadas em todos os estados brasileiros, inclusive no Ceará, conforme representantes nacionais da Instituição.
A necessidade de aumentar as investigações revela uma preocupação do Serviço de Repressão a Desvios de Recursos Públicos (SRDP), situado na Sede da PF, em Brasília, a respeito dos esquemas montados para investir contra as prefeituras. "Hoje, temos uma preocupação muito grande com o nível municipal, onde verificamos que há um certo descuido por parte dos órgãos [fiscalizadores]. O foco maior está sendo a 'Lava-Jato', então identificamos que isso gerou uma certa liberdade para os municípios e, às vezes, alguma questão de desvio não está sendo tratada da forma que achamos que deveria estar sendo", declarou o chefe da SRDP, delegado federal Rolando Alexandre de Souza.
O chefe da DFIN, delegado João Vianey Filho,
espera que as grandes operações tenham o
 papel de 'conscientizar' outros agentes públicos 
Um dos delegados de Combate à Corrupção (Delecor) do Ceará, Joécio de Holanda, conta que a corrupção que se alastra pelo Interior do Estado se dá principalmente por meio de licitações fraudulentas. "As organizações criminosas constituem 'empresas de fachada' para participarem das licitações. A fraude, normalmente, acontece em um conluio da iniciativa privada com o poder público e possibilita a contratação ilegal. Daí vêm os superfaturamentos e os consequentes desvios. Quando se faz um conluio desses, evidentemente, cada um sai ganhando uma parte", detalha.
Conforme Joécio Holanda, muitas vezes, as várias empresas que concorrem em uma licitação foram abertas pela mesma quadrilha, mas nenhuma tem capacidade operacional, empregados ou mesmo sede física. O delegado afirma, ainda, que as comissões de licitações das prefeituras são formadas por pessoas consideradas de confiança dos gestores, mas que, na maioria dos casos, não têm conhecimento jurídico para analisarem os contratos.
O chefe da Divisão de Repressão a Crimes Financeiros (DFIN), delegado João Vianey Xavier Filho, lembra que as delegacias que apuram crimes financeiros e corrupção em todo o Brasil têm vários inquéritos contra prefeituras por apurar e que a intensificação de operações pode ser aguardada, pela população, nos próximos anos.
"Temos muito serviço na fila, em andamento ou aguardando o melhor momento para ser iniciado. Às vezes, são questões de oportunidade para se iniciar a investigação, mas existem muitas coisas acontecendo e desdobramentos de operações de destaque ainda estão surgindo. Então, são anos e anos pela frente de muito trabalho já garantido, fora o que venha a surgir", revelou o delegado.
João Vianey Filho afirma que esses crimes decorrentes das fraudes nas Prefeituras, geralmente, são acompanhados de outros, como a lavagem de dinheiro. As práticas ilícitas incluem até o envio do dinheiro desviado em nível municipal para o exterior.
"É muito comum, principalmente quando se tem crimes de desvio, os investigados precisarem 'esquentar' o dinheiro proveniente de qualquer espécie de propina ou superfaturamento. É muito usada a figura de 'doleiros', hoje chamados de operadores financeiros. Eles fazem operações de troca de moedas, em grande, média ou pequena quantidade, para que o dinheiro desapareça no Brasil e surja em outro País, que tem políticas de paraíso fiscal. Isso se aplica em qualquer nível de corrupção e crimes financeiros, inclusive municipal", completa João Vianey.
Consequências
Segundo o chefe do SRDP, Rolando de Souza, os órgãos fiscalizadores têm dificuldades para apurar desvios de recursos em nível municipal, principalmente em cidades do Interior. A consequência da corrupção é a deterioração dos serviços públicos que devem ser ofertados para a população desses municípios. "Na conta, falta muito. As pessoas morrem nas filas de hospitais, não têm sala de aula para estudar, porque o dinheiro chega, mas não é aplicado onde deveria".
Joécio de Holanda ratifica que as áreas mais afetadas pelos esquemas de corrupção são Saúde e Educação, por recebem repasses de altos valores. "A corrupção é um dos crimes mais graves, senão o mais grave. As consequências da corrupção sistêmica no Brasil são desastrosas. Esse abismo que existe entre as poucas pessoas que têm muito poder aquisitivo e a grande maioria da população brasileira é uma consequência direta da corrupção", ressaltou.
Conscientização
João Vianey Filho espera que as grandes operações realizadas no País tenham o papel de 'conscientizar' outros agentes públicos a não se corromperem. "O desafio é, a partir dessa atuação, ter um reflexo pedagógico, frente à sociedade para que fique claro que a eventual conduta delituosa vai ter uma consequência, isso é muito importante para que haja uma reversão do quadro criminoso. Se quem está delinquindo tiver a certeza que isso vai gerar uma repercussão negativa, que ele vai ser investigado e virá a ser preso, processado e eventualmente condenado, ajudará muito na redução dos casos", afirma.
Joécio Holanda diz que acredita está havendo uma mudança de postura da sociedade, no enfrentamento à corrupção. "Acho que está havendo uma mudança gradual de cultura, entendimento e percepção da corrupção pelo povo. E a identificação do que se entende por criminoso também, porque essas pessoas [políticos e empresários] não eram identificadas como criminosas", acrescentou o delegado.

Falta de efetivo especializado na área dificulta apurações

A insuficiência de efetivo da Polícia Federal dificulta o monitoramento de todos os municípios e a execução de mais operações de combate à corrupção a nível municipal, em todo o Brasil, segundo o chefe da Divisão de Repressão a Crimes Financeiros (DFIN), João Vianey.
"É o velho problema de cobertor curto. Temos um número de policiais, que é mais reduzido ainda quando você leva em consideração a necessidade de especialização para atuação na área, pois são crimes complexos, que exigem análise bancária, financeira, patrimonial e de documentos. E, por falta de efetivo e de recurso, acabamos focando muito nas grandes fraudes", revela o delegado.
A PF é responsável por apurar o crime quando há desvio de recursos federais que, normalmente, são repassados em maior volume para os municípios do que os recursos estaduais. De acordo com Joécio, as investigações partem de notícias-crime recebidas pela Polícia, através de denúncias da população ou de informações que são apuradas e contestadas pelos órgãos fiscalizadores, como a Controladoria Geral da União (CGU) e os Tribunais de Contas da União (TCU), Estado (TCE) e Municípios (TCM).
Além da contribuição externa, a PF acompanha as suspeitas de desvios de recursos por mecanismos próprios. "Temos sistemas de investigação e vários bancos de dados que nos ajudam no que a gente chama de 'proatividade'. É a própria Polícia buscandoa áreas sensíveis, onde imaginamos que os desvios podem ser mais volumosos, para que possamos concentrar nossos esforços, que são limitados", conta o delegado Joécio de Holanda.
Operação prendeu um prefeito
Joécio Holanda é um dos delegados que atua na Delecor, inaugurada no Ceará há aproximadamente um ano 
O primeiro ano da Delegacia de Combate à Corrupção (Delecor) da Superintendência Regional da Polícia Federal do Ceará foi marcado por uma operação em que foram presos 10 suspeitos de participar de um esquema que desviou, pelo menos, R$ 10 milhões de recursos públicos, em três Prefeituras do Ceará: Itapipoca, Pacajus e Ocara. A 'Operação Três Climas' foi deflagrada em 7 de dezembro.
Entre os presos estava o prefeito eleito do município de Mulungu, Robert Viana Leitão (PMN), que seria diplomado no mesmo dia em que foi levado à sede da PF, por força de um mandado de prisão preventiva. De acordo com a investigação, conduzida pelo delegado Joécio de Holanda, o prefeito eleito era sócio de uma empresa que participou de licitações fraudulentas, que desviaram dinheiro de fundos destinados à educação básica e ao transporte escolar, em contratos firmados entre 2012 e 2015.
Robert Viana foi solto no dia 30 de dezembro último, por uma liminar expedida pelo desembargador Ivan Lira de Carvalho, mas ele responde ao processo em liberdade.
Outras nove pessoas foram presas, 24 mandados de busca e apreensão e seis de condução coercitiva foram cumpridos pela PF durante a Operação. O delegado Joécio ressaltou, na época, que as fraudes das licitações eram 'evidentes'. "As licitações foram grosseiramente fraudadas. Não foi difícil identificar. Vários atos de um mesmo processo licitatório foram datados em um mesmo dia. Coisas denotativas que eram voltadas para empresas específicas".

domingo, 28 de maio de 2017

DOIS MORTOS AO TROCAREM TIROS COM EQUIPE DO RAIO EM SENADOR POMPEU


No final deste sábado (27), a composição da RAIO 15 estava fazendo saturação na BR-226 que liga Senador Pompeu a Milhã, próximo a cidade de Milha, avistaram uma dupla em uma motocicleta bros de placa NQZ-3538, a equipe do RAIO deu ordem de parada e os indivíduos empreenderam fuga e entraram em uma estrada carroçável, na fuga os indivíduos caíram da moto e começaram a efetuar disparo de arma de fogo contra a composição do Raio que por sua vez reagiram. Após neutralizar as ameaças, de imediato os mesmo foram socorridos ao Hospital e Maternidade Santa Isabel em Senador Pompeu, no hospital foram atendido pelos médicos plantonistas que constataram o óbito.

Com os indivíduos foram encontrados 2 (dois) revolveres Tauros calibre 38 (trinta e oito) com capacidade para 6 (seis) tiros, oxidados de registro 1862264 e outro 1582173. Os revolveres estavam totalmente municiados sendo um deles com todas as balas deflagradas e outro com quatro balas deflagradas e duas intactas. Também foram encontrado com os indivíduos  1 (um) celular Samsung branco e 1 (um) celular LG K10 dourado e um relógio technos dourado.

 Um dos indivíduos foi identificado como sendo: ANTONIO ERNIVAN DA SILVA, 31 anos, natural de Jaguaretama-CE, o mesmo respondia a vários Artigos do CPB, o outro não foi identificado ainda.


Fonte: patunotícias.com.br

sexta-feira, 19 de maio de 2017

CASOS DE VIOLÊNCIA CONTRA MULHER CONTINUA NA CIDADE DE MILHÃ


Lei Maria da Penha: Ontem por volta das 17h46min a composição da VTR 9042, foi informada via 190 que um individuo estava ameaçando com um gargalho de garrafa a sua companheira, de imediato a composição citada foi até o local e constatou o fato.
A vitima e o acusado foram conduzidos até a Delegacia de Senador Pompeu
O acusado de nome Francisco, tem 35 anos e foi autuado na Lei 11.340 (Maria da Penha) e nos artigos 140 (injúria) e 147 (ameaça) do CPB.

Com informações do Copom\Policia Militar.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Lula dia a Moro que processo é ilegítimo e nega denúncias


Curitiba. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, ontem, durante um interrogatório de quase cinco horas ao juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba, que o processo que atribui a ele a propriedade de um apartamento no litoral de São Paulo é ilegítimo e a denúncia, uma farsa.
"Como eu considero esse processo ilegítimo e a denuncia uma farsa, estou aqui em respeito a lei, em respeito à nossa Constituição, mas com muitas ressalvas com o comportamento dos procuradores da Lava Jato", disse Lula no início do depoimento.

Lula negou categoricamente as acusações de corrupção e denunciou sofrer uma perseguição judicial em um comício posterior, falando a milhares de simpatizantes. O juiz Moro assegurou que o ex-presidente, que governou o país entre 2003 e 2010, seria respeitado como todos os acusados ouvidos por ele e garantiu que não seria preso.
"O senhor ex-presidente vai ser tratado com o máximo respeito, como qualquer acusado e igualmente pela condição do cargo que o senhor ocupou no passado, o senhor ex-presidente pode ficar absolutamente tranquilo quanto a isso", afirmou o juiz a Lula, destacando que "não tem qualquer fundamento" os boatos sobre uma prisão.
"Esse interrogatório é um ato normal do processo", reforçou Moro. "Queria deixar claro que, apesar de algumas alegações nesse sentido, da minha parte não tem qualquer desavença pessoal em relação ao senhor ex-presidente, quem vai definir o resultado são as provas e a lei".
"Eu tinha confiança disso", reagiu Lula.
O juiz Sérgio Moro tentou determinar se Lula é proprietário de um apartamento tríplex no balneário do Guarujá, em São Paulo, que teria recebido da empreiteira OAS em troca de vantagens indevidas.
"Nunca solicitei, não recebi, não paguei nenhum tríplex e nunca recebi esse apartamento", afirmou Lula durante o depoimento. "Nunca tive a intenção de adquirir o tríplex".
Lula confirmou que visitou o triplex porque a OAS queria vendê-lo para sua família, mas afirmou que não orientou qualquer reforma no imóvel.
"O que eu sei que, no dia que eu fui, é que vi muitos defeitos no prédio, defeitos de escada, defeitos de cozinha".
"Eu coloquei 500 defeitos no apartamento. Quando eu fui ao apartamento eu percebi que aquele apartamento era praticamente inutilizável por mim pelo fato de eu ser uma figura pública e eu só poderia ir naquela praia na segunda-feira ou na quarta-feira de cinzas".
Moro questionou o ex-presidente sobre um documento de adesão de uma unidade duplex no prédio no Guarujá que acabou se transformando no triplex. O documento foi encontrado pela polícia na casa de Lula e não está assinado.
"Então, não está assinado, doutor... Talvez quem acusa saiba como foi parar lá. Eu não sei como está um documento lá em casa, sem adesão, de 2004, quando a minha mulher comprou o apartamento (da Bancoop) em 2005".
a
Em outro trecho do depoimento, Lula negou ter orientado o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro a destruir provas de supostos pagamentos de propina ao PT. "Isso nunca aconteceu e nunca vai acontecer".
"Vítima"
O ex-presidente afirmou, em suas considerações finais no depoimento, que está sendo julgado, na realidade, "porque já tinham tese anterior de que o PT era uma organização criminosa". Lula citou, para justificar seu argumento, o Power Point, apresentado por promotores do Ministério Público Federal (MPF), em que era apontado como o principal responsável pelo esquema de corrupção deflagrado pela Lava Jato. "Estou sendo vítima da maior caçada política que um político brasileiro já teve", disse o ex-presidente.
"Sou julgado pela construção de um Power Point mentiroso, aquilo é ilação pura", disse antes de ser interrompido por Moro. O juiz frisou que o depoimento deveria ter relação com o processo, e não um "discurso político".
Durante sua fala, Lula reafirmou que é vítima de um processo de criminalização pelo que fez no governo. "Tentam me incriminar, independentemente de que em 2 anos eu prove minha inocência". Capas de revistas, assim como volume de matérias positivas e negativas nos jornais, foram usadas como exemplo deste processo.
Neste momento, Moro questiona se tal processo seria encampado pela imprensa ou por acusadores. "Falo dos vazamentos que saem para a imprensa", explicou Lula. Moro, então, salientou que "não é a imprensa que faz a acusação no processo". Além disso, Lula afirmou que acreditava merecer "mais respeito" durante o processo.
"Algumas pessoas são acusadas e ninguém é atacado 10% do que eu sou atacado", declarou. "Quero que se pare com ilações e digam qual crime eu cometi".
Desavença
Ao falar na abertura do depoimento do ex-presidente, Moro disse que não tem desavença pessoal com o ex-presidente e frisou que a acusação é feita pelo Ministério Público Federal.
"O que vai determinar o final são as provas e a lei. Eu sou o juiz. Estou aqui para ouvi-lo e proferir julgamento ao final do processo", disse Moro.
Retrospectiva
Entenda o caso do tríplex do Guarujá (SP)
1996- Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo é criada
2006 - Lula declara ter pago R$ 47 mil em sua declaração eleitoral de bens por um apartamento em Guarujá da Bancoop
2007 - MP começa a investigar desvios na cooperativa. A suspeita é que valores foram para campanhas do PT
2009 - Falida, a Bancoop transfere seus empreendimentos para a OAS
2011 - Cooperados pagam taxas abusivas e perdem seu investimento
2012 - OAS compra de volta um apartamento de Marice Corrêa Lima, cunhada do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, um ano depois pelo dobro do preço
2013- OAS deixa de entregar 112 de 336 unidades do condomínio na Casa Verde, mesmo depois de pedir um financiamento de R$ 13 milhões para terminar a obra
2014 - Marisa Letícia e Fábio Luis participam de vistoria da obra
2015 - Lula declara no Imposto de Renda a propriedade de cota-parte do ap. 141 no condomínio Solaris. Dona Marisa desiste do triplex
2016 - Fotos mostram visita de Lula ao apartamento acompanhado pelo presidente da OAS, Leo Pinheiro, em 2014. Em março, MP-SP apresenta denúncia contra o ex-presidente e pede sua prisão.
Defesa
"A verdade é a seguinte: não solicitei, não recebi, não paguei e não tenho nenhum tríplex. Nunca solicitei e nunca recebi apartamento. Imagino que o MP apresente as provas"
"Eu repito a mesma coisa: a dona Marisa não me disse no mesmo dia que ela foi lá, que ela não ia ficar com a apartamento. Acho que ela tomou a decisão de não comprar"
"Se as pessoas que estão fazendo essa denúncia querem saber como se governa, elas têm de sair do Ministério Público, entrar no partido, disputar as eleições e ganhar"
"Se um dia eu tiver cometido um erro, não quero ser julgado apenas pela Justiça, mas antes pelo povo brasileiro"
Luiz Inácio Lula da Silva
Ex-Presidente da República

Fonte: DN

terça-feira, 9 de maio de 2017

JAGUARETAMA: Projeto de lei reduz valores dos plantões dos profissionais da saúde. Dirigente sindical vai à câmara discutir o assunto.


O que era pra ser um debate mais participativo por parte dos vereadores, acabou sendo, mais uma vez, um palco de acusações e mais uma vez, de cunho pessoal.
O povo já não agüenta mais o tamanho da prova da falta de compromisso com os assuntos relevantes às melhorias da cidade. Disse um popular: “sempre é a mesma coisa, só briga, briga e briga e nada fazem pelo povo.
 A técnica de enfermagem e dirigente sindical Nerivanda Lopes, foi à câmara municipal de Jaguaretama para discutir sobre o plano de cargos e carreiras dos servidores da saúde e também a respeito da lei municipal que reduzirá o valor dos plantões de motoristas, enfermeiras, auxiliares de enfermagem, vigias e demais profissionais da saúde e que segundo ela; "não atende os interesses dos servidores, porque eles estão ganhando  menos do que o ano passado".
O plano de cargos e carreiras dos servidores da saúde foi aprovado ainda na gestão passada (prefeita Ila Pinheiro) e com um reajuste salarial para essas categorias. De lá pra cá, nem promessas de reajuste salarial por parte da atual gestão que tanto prometeu valorizar os profissionais da saúde. Na verdade, esses profissionais receberam uma verdadeira “apunhalada pelas costas” pois o atual prefeito, Glairton Cunha, resolveu baixar drasticamente o percentual da gratificação de plantões desses profissionais alegando que a gestão anterior pagava acima do permitido pela lei. O que se sabe é que a lei determina um valor de mínimo de 20%, ou seja, nada impede que um gestor possa pagar a mais, e até como forma de valorizar esses profissionais que se dedicam com suas vidas para dar um atendimento mais eficaz para o povo, porém, não estão sendo valorizados.
Agora o gestor envia um projeto de lei reduzindo os valores desses plantões.
De que lado está o atual prefeito?
De que lado estarão os vereadores desta vez?
Será que vão votar contra os trabalhadores e fazer os gostos do prefeito?
Após a explanação da dirigente sindical, o vereador Rodolfo Cunha quebrou a linha de debate e mudou todo o contexto partindo para acusações e fugindo totalmente do assunto que era sobre o plano de cargos e salários dos profissionais da saúde e sobre a redução dos plantões. O mesmo acusou Nerivanda Lopes "de ter badalado pela cidade toda que os vereadores teriam tido um aumento de seus subsídios". A dirigente sindical de forma educada e compreensiva pediu desculpas pelos comentários proferidos e assumiu seus erros, porém o vereador continuou, acusando-a de ter usando as redes sociais para falar que a família dele estaria se beneficiando com empregos da gestão municipal. Disse ele: "se comporte como presidente do sindicato, me respeite e lhe peço pela última vez que me respeite, mas se você quiser bater de frente comigo, estou pronto!".
O vereador Rodolfo cobrou da dirigente sindical a prestação de contas de sua gestão como presidente do sindicato e perguntou se ela recebia adicional noturno, mesmo estando afastada do hospital. A dirigente confirmou  que sim, mas ressaltou, "recebo porque a diretoria aprovou". Sobre a prestação de contas, ela disse que não entregaria, "a não ser que seja via judicial".


Fonte:Plantão de Notícias 190